Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

culturALL

Cultura para Todos!

culturALL

Cultura para Todos!

Mimo Festival chega a Portugal

  • Amarante recebe mais de 33 concertos, filmes e encontros com artistas de referência internacional;
  • Pat Metheny e Ron Carter, Tom Zé, Vieux Farka Touré e Custódio Castelo são as primeiras confirmações de um cartaz de luxo;
  • De 15 a 17 de julho e com entrada gratuita.

A charmosa cidade de Amarante, na região do Porto, foi a escolhida para ser o palco da primeira internacionalização do MIMO Festival. O evento - com atividades inteiramente gratuitas – oferece concertos de grandes nomes da música nacional e mundial, cinema, workshops, masterclasses e a Chuva de Poesia.

Realizado há 13 anos consecutivos em várias cidades históricas do Brasil, aclamado pela crítica e reconhecido pelo público, o MIMO Festival traz a Amarante concertos exclusivos dos norte-americanos Pat Metheny & Ron Carter,  do tropicalista Tom Zé, do malinês Vieux Farka Touré e do português Custódio Castelo, entre outros a anunciar em breve.

Num conjunto de 33 atividades, a realizar entre 15 e 17 de julho, o MIMO Festival vai ocupar palcos espalhados por Amarante, lançando um novo olhar sobre o património histórico-cultural, tendo a arte como estímulo sensorial. As Igrejas de São Gonçalo e São Pedro, o Museu de Amadeo de Souza-Cardoso, o Parque Ribeirinho junto ao Rio Tâmega, o Centro Cultural (antiga cadeia), a Casa da Portela e a Sala Teixeira Pascoaes vão receber a diversificada e abrangente programação do festival cujos pilares são a música, o património e a educação.

No que diz respeito a cinema, o Festival MIMO de Cinema selecionou para Amarante uma mostra especial em homenagem aos 80 anos do artista brasileiro Tom Zé; outra com os melhores filmes exibidos nos últimos anos do festival no Brasil; e uma terceira mostra que reúne produções inéditas de diversas partes do mundo.

À semelhança do que acontece no Brasil, em Amarante haverá ainda a já celebre Chuva de Poesia, com milhares de versos de poemas impressos em pedaços de papéis coloridos a serem lançados do alto das torres de igrejas, numa homenagem a grandes nomes da poesia portuguesa.

Outra das particularidades do MIMO Festival são os workshops, masterclasses e palestras a realizar pelos cabeças-de-cartaz do festival indo de encontro à comunidade envolvente.

Único pela sua abrangência e conceito, o MIMO promove o respeito pelas diferentes culturas, as cidades que o recebem e os seus bens histórico-culturais, valorizando o desenvolvimento humano e artístico.

 

O MIMO & PORTUGAL                                                        

São muitas as afinidades entre o MIMO e a cultura portuguesa, a começar pela valorização do património. Desde a sua criação, em 2004, nas igrejas seculares de Olinda (Pernambuco), o festival realiza-se em cidades representativas da sua história, como Paraty, Ouro Preto, Tiradentes – chegou no ano passado ao Rio de Janeiro -  ocupando espaços da arquitetura colonial portuguesa com numerosas atividades. São todas cidades que apontam para o futuro, preservando a sua memória. Da mesma forma que o público, que ultrapassou já a marca de um milhão de espectadores em 2015, reúne diversas gerações, nas igrejas, nos monumentos e nos parques e espaços públicos.

Amarante, na Região Norte, reúne o Portugal histórico e o contemporâneo. A primeira edição do MIMO em território estrangeiro tem por objetivo construir, assim, este evento democrático, de acesso a toda a população, de forma contínua, a fim de que se torne uma marca para a cidade, que se destaca pelo turismo cultural.

Portugal está intrinsecamente ligado ao MIMO Festival, a partir da realização de concertos e outras atividades em espaços marcados pela colonização portuguesa. A cultura luso-brasileira faz parte do conceito estético do MIMO desde a sua criação. Por isso, quando pensamos em internacionalizar o festival, Portugal foi o primeiro país para onde quisemos ir. A ideia surgiu em 2013 e começou a ganhar forma há um ano e meio com o apoio de nossos parceiros e sócios”, comenta Lu Araújo, criadora e diretora-geral do MIMO.

Também Melchior Moreira, presidente da Turismo do Porto e Norte de Portugal, fez saber: "Apoiamos, desde o primeiro momento, este festival único. Entendo e defendo que os eventos são um dos produtos turísticos potenciadores de crescimento económico e de notoriedade de uma região. Os números que temos associados aos grandes eventos que o Porto e o Norte têm recebido são exemplo disso mesmo: temos tido aumento crescente da estada média, o que representa um retorno a todos os níveis para o destino."

Por sua vez, o Presidente da Câmara de Amarante, José Luís Gaspar, afirmou: “Quando soubemos da intenção dos criadores deste festival em “exportar” para a Europa o conceito, e considerando que o Município de Amarante teria um enquadramento natural na vertente de promoção do património, iniciámos desde logo o processo de discussão e avaliação de todas as possibilidades para agarrar o Festival.”

O MIMO Festival conta com o apoio do Turismo do Porto e Norte, Comunidade Intermunicipal do Tâmega e Sousa e Câmara Municipal de Amarante, com a comparticipação financeira do Portugal 2020. A Fundação Millennium BCP é mecenas do Serviço Educativo.

 

PRIMEIRAS CONFIRMAÇÕES:

PAT METHENY & RON CARTER (EUA)

Concerto exclusivo no MIMO Amarante. O encontro entre Pat Metheny, um dos maiores guitarristas do mundo, vencedor de 20 Grammy; e Ron Carter, um dos contrabaixistas mais gravados, premiados e respeitados da história, marca a estreia do MIMO Festival em Portugal. Depois da lendária e aclamada atuação no Festival de Jazz de Detroit em 2015, os dois mestres unem o seu legado numa digressão em que apresentam o melhor do Jazz.  Em Portugal, só o público que for ao MIMO Amarante poderá presenciar este especial e inédito encontro, que passará por um restrito grupo de festivais e salas da Europa.

 

TOM ZÉ (Brasil)

Um espetáculo inédito e exclusivo em Portugal. Em permanente estado de ebulição, o baiano de Irará e co-fundador do Tropicalismo mostra seu novo trabalho, “Vira lata na Via Láctea”. No repertório do performático artista estão “Geração Y”, dirigida aos jovens que esgotam as suas apresentações; a parceria com Criolo, “Banca de jornal”; a irreverente “Papa Francisco perdoa Tom Zé”; e “Pour Elis”, letra de 1982, dedicada por Fernando Faro à Pimentinha, que ele musicou e foi gravada neste CD por Milton Nascimento. Neste espetáculo, Tom Zé irá lembrar ainda os sucessos como “2001”, com Rita Lee; e “Augusta, Angélica e Consolação”.

 

VIEUX FARKA TOURÉ (Mali)

Filho do lendário guitarrista Ali Farka Touré, Vieux foi considerado pelo jornal britânico The Guardian o “novo herói africano da guitarra”. Nascido no Mali, o instrumentista e compositor combina a destreza de uma estrela global com um carisma sem igual. Fluidez, técnica, invenção rítmica e paixão são algumas das características que fazem de Vieux um músico praticamente inigualável. O seu último álbum circulou entre as listas mais prestigiadas da crítica internacional. Concerto exclusivo em Portugal.

 

CUSTÓDIO CASTELO (Portugal)

Referência na renovação da guitarra portuguesa nos últimos 25 anos, é um exímio instrumentista e refinado compositor. Além da carreira solo, já se apresentou ao lado de Amália Rodrigues, Jorge Fernando e Carlos do Carmo, e da brasileira Maria Bethânia. Tendo como matriz cultural o Fado, reúne de forma harmoniosa, os suaves aromas da morna, os tons épicos de tango e os improvisos do jazz. Depois dos bem-sucedidos concertos no MIMO Brasil, em 2014, Custódio Castelo vai apresentar “Maturus”, o novo álbum, gravado com a sua guitarra “Siamesa”, única no mundo.

 

IN: www.cm-amarante.pt

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.