Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

culturALL

Cultura para Todos!

culturALL

Cultura para Todos!

Conferência "Migrações" | 10 maio às 15h | São Luiz Teatro Municipal

Esta quarta-feira, às 15h00, o São Luiz Teatro Municipal recebe no Jardim de Inverno a conferência Migrações, organizada no âmbito de Passado e Presente - Lisboa, Capital Ibero-americana de Cultura.  

 

Em análise a emigração e a imigração entre a Europa e a América Latina. Os fluxos, as políticas, as pessoas.

 

Com Maria Margarida Marques (Portugal), Carlos Gómez Florentín (Paraguai), Berta Palou (Espanha), colaboração de Martín Craciun (Uruguai) e moderação de António Pinto Ribeiro (Portugal).

 

Entrada livre, sujeita à lotação da sala. A organização passará um certificado de participação aos interessados.
No pórtico de A Selva, Ferreira de Castro (1898-1974) dedica este seu romance em simultâneo à selva amazónica onde o mesmo decorre e a seus irmão cearenses e maranhenses ”gente sem crónica definitiva” mas que são quem extrai a borracha com que se fabricam os pneus dos automóveis que circulam em S.Paulo ou em Paris. E quem o escreve é simultaneamente um seringueiro e um emigrante português que, como muitos outros portugueses e espanhóis, depois dos seus antecedentes colonos, são os emigrantes que têm como destino principal - entre meados do século XIX até aos anos 60 do século passado - os países da América Latina. Por muitas que sejam a razões da emigração – inércia dos laços coloniais, melhores condições de vida, exílio, asilo, globalização - a emigração é sempre uma consequência de uma política do país do emigrante que, não só pode ser a de maltratar o cidadão, como a de não cuidar dele. E estas políticas aconteceram em ambos os sentidos de um lado e do outro do Atlântico a partir de 1850, com a primeira vaga de emigrantes de Portugal e de Espanha a que se seguiram as imigrações latino-americanas, em particular entre 1960 e 1980 para a Europa, em consequência das ditaduras em muitos destes países latino-americanos. Já nos últimos anos do século XX dá-se um novo fluxo de emigração para os países emergentes das Américas, a que se segue um período de brasilização – emigração para Portugal – e ibero-americanização – a migração para Espanha e Europa de cidadãos das Américas Central e do Sul.

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.