Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

culturALL

Cultura para Todos!

culturALL

Cultura para Todos!

Almada - Comemoração do Dia Mundial do Livro - Venha Festejar o Livro em Liberdade

Dia: 23 de abril
Horário: das 16h30
Local: Sala Pablo Neruda
  
Comemoração do Dia Mundial do Livro - Venha Festejar o Livro em Liberdade
O Livro Faz-nos Livres, sessão dinamizada pelo jornalista João Morales com a presença de Eugénio Lisboa, Afonso Cruz e Andréa Zamorano
Se no princípio era o verbo a grande revolução fez-se pela palavra. Por isso, associar o Dia Mundial do Livro à Liberdade é uma daquelas contingências que parecem contar com a cumplicidade do próprio calendário. Pelas 16h30m vamos falar sobre a forma como os livros, as palavras, a sua partilha, são o elo mais forte na corrente que reforça a união entre os seres humanos – o utensílio fundamental para as decisões inerentes à condição de Ser Humano.
 
Eugénio Lisboa
Nasceu em 1930, em Lourenço Marqu
es (actual Maputo), Moçambique. Licenciou-se em 1953 em Engenharia Electrotécnica, pelo Instituto Superior Técnico. Foi adjunto do director mundial de exploração na Compagnie Française des Pétroles e trabalhou no ramo petrolífero durante vinte anos (1958-78). Entre 1974-78 acumulou essa actividade com a docência, nas Universidades de Lourenço Marques, Pretória (1974-75) e Estocolmo (1977-78), onde regeu cursos de Literatura Portuguesa. Na Suécia foi coordenador do ensino de Língua Portuguesa. Foi, durante 17 anos (1978-95), Conselheiro Cultural na Embaixada de Portugal em Londres e presidiu à Comissão Nacional da UNESCO (1996-1998).
Crítico e ensaísta, dedicou especial atenção à obra de José Régio. Co-dirigiu suplementos literários em Moçambique. Reuniu ensaios nos dois volumes de Crónica dos Anos da Peste e no díptico Indício D’Oiro. Nos anos mais recentes, tem vindo a dedicar-se à escrita das suas memórias, sob o título global Acta Est Fabula, das quais fez já publicar os volumes I, III, IV e V. O primeiro, conquistou o Grande Prémio de Literatura Biográfica 2012/2013, atribuído pela Associação Portuguesa de Escritores (APE).
Fez teatro radiofónico no Rádio Clube de Moçambique e colaborou em numerosas revistas e jornais (Diário de Moçambique, Notícias da Beira, Objectiva, Paralelo 20, Jornal de Letras, A Capital, Diário Popular, O Tempo e o Modo, Colóquio-Letras, Nova Renascença, Oceanos, Ler, entre outros).
É Doutor Honoris Causa pela Universidade de Nottingham, do Reino Unido  (1988) e pela Universidade de Aveiro  (2002), com a qual colabora desde 1996, através do seu Departamento de Línguas e Culturas . Foi distinguido com o grau Oficial da Ordem do Infante D. Henrique.
   
  
Afonso Cruz
Escritor, ilustrador,
 realizador de filmes de animação e músico na banda The Soaked Lamb. Nasceu em 1971 e, em 2008, publicou o seu primeiro romance, A Carne de Deus – Aventuras de Conrado Fortes e Lola Benites. Um ano depois, 2009, iniciou a Enciclopédia da Estória Universal, cujo primeiro volume foi galardoado com o Grande Prémio do Conto Camilo Castelo Branco – APE/Câmara Municipal de Famalicão, e que já conta com mais quatro volumes (o mais recente, As Reencarnações de Pitágoras, de 2015).
Publicou inúmeros livros para crianças, jovens e público em geral, sendo distinguido com os mais diversos galardões pelo seu trabalho. Entre eles, encontramos o Prémio Literário Maria Rosa Colaço, Prémio Autores SPA/RTP; selecção para o White Ravens 2011; Menção especial do Prémio Nacional de Ilustração; Lista de Honra do IBBY (International Board on Books for Young People); Prémio Ler/Booktailors ou o Prémio da União Europeia.
Em 2013, lançou a peça de teatro O Cultivo de Flores de Plástico  e participou na ficção colectiva A Misteriosa Mulher da Ópera. Aliás, trabalhos em grupo é coisa que lhe é familiar: se, já em 2011 tinha integrado O Caso do Cadáver Esquisito, publicado pela Associação Prado, em 2014 integra o leque que assina MICROENCICLOPÉDIA - Micro-organismos, Microcoisas, Nanocenas e seus amigos de A a Z. Em 2015 publicou ainda Flores, Barafunda, O Livro do Ano, A Cruzada das Crianças e integrou a antologia O Lado de Dentro do Lado de Dentro.
 
   
Andréa Zamorano
Nasceu no Rio de Janeiro
e vive em Lisboa há tantos anos quantos os que viveu no Brasil. Cursou Língua e Literaturas de Língua Portuguesa na Faculdade de Faculdade de Letras da Universidade Federal do Rio de Janeiro. Licenciou-se em Estudos Portugueses na Universidade Nova de Lisboa. Frequentou o Mestrado em Literatura Comparada na Universidade de Lisboa.
Publicou em 2015 o seu primeiro romance – A Casa da Rosas – pela prestigiada editora Quetzal. A obra foi vencedora do Prémio Livro do Ano pela Revista TimeOut Lisboa e está ainda entre os finalistas da seleção portuguesa ao Festival du Premier Roman – Chambéry, 2016.Tendo trabalhado na área da Comunicação Empresarial em diferentes multinacionais, é atualmente proprietária de vários restaurantes em Lisboa, entre os quais, a famosa Hamburgueria Gourmet de Lisboa – o Café do Rio.
A autora apresenta uma nova literatura híbrida resultante da sua vivência em Portugal, o seu discurso literário inaugura novos espaços e sentidos para o Português. Ao mesmo tempo, assume-se como uma afirmação do poder feminino.
 
IN: www.m-almada.pt